Cuiabá (MT), terça, 17 de outubro de 2017
Turma do Epa
Segunda, 19 de junho de 2017, 09h04
Chapeu MASCULINIDADE

A verdade nua e crua

A partir de seus retratos em plano médio de genitais masculinos, a britânica Laura Dodsworth compila também os depoimentos de uma enorme variedade de homens
EL PAÍS  / Cuiabá-MT
Laura Dodsworth se define como uma especialista em fotografar pessoas. Em seu mais recente livro, "Manhood: The Bare Reality" (“Masculinidade: a verdade nua e crua”, em tradução literal), ela conta as histórias por trás de 100 pênis. A partir de seus retratos em plano médio de genitais masculinos, a britânica compila também os depoimentos de uma enorme variedade de homens, questiona os mitos em torno deles e revela algumas de suas inquietações. 

"É impossível generalizar, mas se há algo em comum a muitos dos entrevistados é sua necessidade de estabelecer uma conversa íntima e reveladora”, conta a autora ao EL PAÍS.

Foram 100 encontros com 100 homens posando para a câmera. “Nem um a mais, nem um a menos. Tudo entrou no livro”, diz Dodsworth. Este ensaio visual sobre a masculinidade é composto de relatos pessoais. Um dos entrevistados conta como enfrentou a perda de seus dois testículos por causa de um câncer antes dos 35 anos, outro revela como é viver com síndrome de Asperger e um jovem fala das ideias pré-concebidas que o acompanham por ele ser negro.

O resultado deste livro da editora Pinter & Martin é, no entanto, um mosaico de questões universais. Aborda a sexualidade sob a perspectiva masculina – independentemente da orientação sexual -, sua relação com o poder e o fato de ser pai ou marido.

E também se os homens pensam com frequência sobre o tamanho de seu pênis.

A resposta, como suspeitávamos, é que se trata de uma preocupação geral. A fotógrafa confirma também que os homens têm dificuldade em falar de seus sentimentos, mas insiste que, ao mesmo tempo, desejam ser ouvidos.

Dodsworth selecionou os assuntos que queria abordar e buscou os depoimentos através de amigos ou associações. Em seguida, se apresentou a cada um deles sem ter pesquisado excessivamente, para preservar a espontaneidade. “A verdade é que muitas vezes nem eles mesmos sabiam qual era a história que queriam contar; encontravam-na à medida que iam falando”, explica.

Nenhum dos entrevistados mostra seu rosto nem dá seu nome, mas revela sua idade. “Quase desisti enquanto buscava um padre que aceitasse falar e posar nu, mas no fim encontrei”, conta a fotógrafa. O religioso, de 39 anos, confessou a ela: “Tenho dúvidas sobre se é necessário esperar até o casamento para fazer sexo. Há uma mistura de estranhamento, decepção e vergonha quando uma pessoa começa a fazer sexo com seu parceiro depois de respeitar essa norma”.

Tendo em mente que o sexo e a relação com o próprio corpo são dois assuntos inevitáveis em relação a estes retratos, a autora percebe diferenças entre as gerações neste conjunto de depoimentos. “Os mais jovens cresceram com a pornografia na Internet, mas os mais velhos se dizem felizes por não ter vivido isso na juventude, apesar de agora consumirem esse tipo de material. Um rapaz de 20 anos chegou a me contar que teve que parar de assistir porque tinha perdido a capacidade de atingir o orgasmo quando transava com uma mulher”, comenta.

Alguns dos homens descrevem situações como a demissexualidade (quando só sentem desejo se tiverem uma conexão emocional com a outra pessoa), provavelmente sem saber que a situação tem um nome. Com seus depoimentos, questiona-se a pré-concepção relacionada com o masculino e o desejo sexual irracional.

Em um momento em que os papeis de gênero começam a se confundir, Dodsworth acredita ser importante que estes 100 homens tenham respondido a perguntas feitas sob uma perspectiva feminina. Era seu desafio depois de ter publicado, em 2014, um livro semelhante, no qual o fio condutor eram as mulheres e o retrato recorrente era de seus seios nus.

Nenhum dos dois livros de Dodsworth pretende impor dogmas de gênero. Ela convida cada leitor a tirar suas próprias conclusões a partir dos depoimentos, apesar de ter sua própria interpretação: “O feminismo ajudou as mulheres a redefinir a feminilidade em seus próprios termos e a se libertar de certos estereótipos. Aprendi que os homens são encantadores, mas continuam brigando entre si. O caminho até a igualdade é longo”. (*texto de Héctor LLanos Martínez) 

 leia também
Segunda, 16 de outubro de 2017
13:56
Chapeu GRAMPOS
Interceptações clandestinas vêm de longe
Busca e Apreensão busca provas com ex-comandante da PM na gestão Dante
09:52
Chapeu política
Congresso terá semana com foco em denúncia contra Temer e retorno de Aécio
Nesta semana, as atenções de deputados e senadores estarão voltadas principalmente à análise pela Câmara da denúncia contra o presidente Michel Temer
09:47
Chapeu Economia
Boletim Focus prevê inflação de 3% para este ano, segundo Banco Central
A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desta vez, passou de 2,98% para 3%, este ano.
Quarta, 11 de outubro de 2017
21:22
Chapeu saúde
Governo libera 1ª parcela da ajuda voluntária aos hospitais filantrópicos
O Governo do Estado de Mato Grosso liberou nesta quarta-feira (11.10) o pagamento de R$ 2.5 milhões referentes à parcela de setembro destinada aos hospitais filantrópicos de Cuiabá
12:42
Chapeu Operação Duas-Caras
PF deflagra segunda fase da Operação Duas-Caras que apura fraudes contra a Caixa
A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (11), a segunda fase da Operação Duas Caras, que apura fraudes contra a Caixa Econômica Federal.
12:41
Chapeu GRAMPOS
Reinterrogatório não foi produtivo
Delegados dizem que depoimentos nada acrescentaram ao que já se sabia
Terça, 10 de outubro de 2017
14:02
Chapeu Justiça
Fachin arquiva inquérito contra Renan, Jucá e Sarney na Lava Jato
O arquivamento havia sido pedido em setembro pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, após a mesma solicitação ter sido feita pela Polícia Federal.
14:00
Chapeu DELAÇÃO
Maggi retruca: "Banco não aceita aval verbal"
Suporte documental esvazia denúncia de Martelli
Segunda, 09 de outubro de 2017
12:29
Chapeu UNIÃO DA FAMÍLIA?
Getúlio Viana descarta PSDB
Decisão provoca perplexidade na Executiva tucana
11:32
Chapeu reforma política
Reforma política: saiba o que muda nas eleições de 2018
Após meses de discussão, deputados e senadores aprovaram no fim do prazo a reforma política.

+ ver todas as matérias
Eparre

 Mutirão Fiscal em Várzea Grande


Há esperanças de que o "Mutirão Fiscal", na verdade um processo conciliação realizado com apoio do Tribunal de Justiça, contribua para engrossar o caixa da Prefeitura de Várzea Grande e com isso suprir o 13º salário e outras despesas correntes represadas.

 Salários em dia


De repente, a obrigação de pagar servidores nas datas que são destinadas a que cada um receba o que lhe é devido, passou a ser considerado uma demonstração de competência e aplicação dos Poderes Executivos.

 Pagar salário é obrigação


Pagar salários é obrigação. Pagar em dia, também. Quem trabalha contrata serviços, contrai dívidas no mercado às quais deve prover nos respectivos vencimentos. O que vale para empregado em relação aos compromissos assumidos, vale, também, para os condutores dos negócios públicos.

 Comprometimento


Isso não subtrai, em verdade, o comprometimento do gestor público ao priorizar as folhas de pagamento. Ao fazer isso está proporcionando instrumentação para que a própria economia local mantenha impulso e dê retorno aos cofres públicos.

 Impostos atrasados


A capacidade contributiva dos moradores de Várzea Grande, em verdade, nunca foi tão grande. O município, apesar de dispor de empresas frigoríficas de porte e até de ter recebido a alcunha de "Cidade Industrial" não faz jus a esse tipo de denominação. A cidade é tida por "dormitório" em que a maioria trabalha fora por ausência de empreendimentos capazes de empregar decentemente a população.

 Obrigações fiscais


A "Cidade Industrial" também é notória pela leniência com que foi conduzida a tributação, principalmente no que se refere aos impostos de alçada municipal, exceção ao ISSQN. Houve politicagem com a isenção ou valores venais muito baixos em relação a impostos patrimoniais e isso torna recorrente o atraso no pagamento de tributos.

Eparre

Terça, 15 de agosto de 2017

Vocês estão todos no grampo. Se não for ilegalmente alguém da Justiça já deve ter determinado grampo em vocês. Ta todo mundo quietinho e aprovando prisão de qualquer jeito e vocês acham que prisão é pro cara ficar no bem bom?

Sexta, 04 de agosto de 2017
Ubiraci Carvalho
Caramba! Que rolo togado esses tais grampos. É um envolvendo o outro e outro envolvendo o um e mais um. VOte.

Sexta, 04 de agosto de 2017
K.W
Por mais que o povão gosta da desgraça alheia é bom ficar claro que prisão não é sala de suplício. Ou precisa desenhar?

Sexta, 04 de agosto de 2017
Odacil Ferreira
Gosto da informação apurada como estas que vcs publicam. E a seriedade com que tratam o assunto. As posições onde vcs se expressam através da coluna são absolutamente corretas. Querem fazer os militares bodes expiatórios e passarem por cima das leis. Onde já se viu querer mandar um coronel ex-comandante da PM, um ex-chefe da Casa Militar para um Presídio de segurança máxima? Regime Diferenciado é para cumprimento de pena ou excepecionalíssimo e não para servir a mesquinharias e a jogo de vaidades.

DEIXE SUA OPINIÃO OU COMENTÁRIO
Nome:
Texto:
Email:
Coluna:
Vídeos
 HUMOR
Profissional do sexo aprontando com pedestres em pegadinha engraçada
HOME  |   TURMA DO EPA  |   PANORAMA  |   VÍDEOS  |   LEITURA  |   EPARRÊ  |   EPA DOS LEITORES
BROADCAST  |   QUEM SOMOS  |   DIREITO DE RESPOSTA  |   ANÚNCIOS  |   CANAL RSS  |   CONTATO
Copyright © 2011 - Turma do Epa. Todos os direitos reservados