Cuiabá (MT), sexta, 27 de abril de 2018
Turma do Epa
Sexta, 24 de novembro de 2017, 00h17
Chapeu direitos humanos

Pesquisa indica que 27% das mulheres nordestinas já sofreram violência doméstica

Nos estados do Nordeste brasileiro, 27% das mulheres com idade entre 15 e 49 anos já foram vítimas da violência doméstica praticada por maridos, companheiros ou namorados.
Agência Brasil  / Cuiabá-MT

Nos estados do Nordeste brasileiro, 27% das mulheres com idade entre 15 e 49 anos já foram vítimas da violência doméstica praticada por maridos, companheiros ou namorados. As cidades onde essa violência foi maior são Salvador, Natal e Fortaleza. Esses são alguns dos dados levantados pela Pesquisa Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, apresentada na tarde desta quarta-feira (23) no auditório da representação da ONU no Brasil, em Brasília.

Elaborada em parceria com o Instituto Maria da Penha e coordenada pelo professor José Raimundo Carvalho, da Universidade Federal do Ceará, a pesquisa revela os impactos sociais, econômicos, emocionais e psicológicos nas vítimas e também na família, especialmente em crianças e adolescentes. Foram ouvidas 10 mil mulheres por 250 entrevistadores.

No lançamento, a secretária nacional de Direitos da Mulher, da Presidência da República, Fátima Pelaes, lembrou que a inclusão do fator econômico nos dados da pesquisa é fundamental para a formulação de politicas públicas, porque a violência contra as mulheres afeta a renda das trabalhadoras:

“É importante que a sociedade entenda que a violência doméstica está impactando a economia em torno de R$ 1 bilhão por ano. Precisamos envolver todo mundo nessa luta. As empresas precisam entender isso. Daí a ideia de formação da Rede Brasil Mulher, para mobilizar todos e todas no combate a essa violência, que passa de geração em geração”.

Para Fátima Pelaes, a educação escolar tem um papel importante e, por isso, pediu ao Ministério da Educação que inclua a igualdade de gênero nos livros didáticos.

Ao apresentar os números, o professor José Raimundo Carvalho lembrou que a violência doméstica existe em todos os países, sem exceção, e custa muito caro aos cofres públicos, por isso cobrou políticas públicas para enfrentar o problema. “No Brasil, tivemos três ações que ajudaram a combater a violência doméstica: os programas Bolsa Família e de microcrédito e a Lei Maria da Penha, mas não possuímos instrumentos para entender as relações de poder que fomentam a violência”.

Carvalho destacou que, entre as mulheres brancas com nível de educação superior, o percentual de vítimas é dez vezes menor do que entre as pretas sem qualquer instrução, e “isso deixa clara a desigualdade social e racial entre as mulheres que sofrem a violência”.

Dos pais para os filhos

Outra constatação da pesquisa foi a transmissão da violência doméstica entre as gerações. Os números mostram que, nos nove estados nordestinos, 88% das mulheres souberam que suas mães foram agredidas. E quatro em cada 10 também se tornaram vítimas dessa mesma violência.

“É a da perpetuação da violência” – disse o professor Carvalho. "Homens e mulheres criados em lares violentos reproduzem esse modelo quando adultos. E as mulheres também são vítimas [quatro em cada 10] de homens que também viram as mães agredidas”.

Outro dado alarmante, segundo o coordenador da pesquisa, é o da exposição das crianças à violência doméstica: 55% das mulheres agredidas disseram que as agressões se deram na frente dos filhos. Para o professor, na idade adulta, esses filhos vão reproduzir o que viram: os meninos vão acreditar que a violência é uma solução e as meninas vão aceitar a violência como uma realidade que não podem evitar.

Violência na gravidez

Segundo o coordenador da pesquisa, um dos dados mais chocantes foi o das agressões sofridas pelas mulheres gestantes. Segundo os números da pesquisa, 7% das mulheres agredidas durante a gestação têm entre 15 e 24 anos e o agressor não leva em conta o estágio da gravidez.

“Ele agride no primeiro trimestre e a maioria diz que não sabia que a mulher estava grávida, mas agride também no segundo e no terceiro trimestre”, disse. Nesses casos, ele observa, o feto é igualmente agredido e vai ser um recém-nascido com problemas de baixo desenvolvimento.

“E ainda há um agravante: a mulher grávida agredida tende à depressão e enveredar para o uso de álcool e de drogas, piorando ainda mais a saúde dela e do bebê”.,

Politicas públicas

A Secretaria Nacional dos Direitos da Mulher investiu R$ 2 milhões no projeto, que contou ainda com o apoio da Organização das Nações Unidas, por meio da ONU Mulheres, e Instituto Avon. Para o professor José Raimundo Carvalho, a comunidade acadêmica internacional já reconheceu a importância dessa pesquisa, a primeira no mundo a trabalhar cientificamente tal volume de dados levantados de maneira criteriosa.

“Essa pesquisa é de tal modo importante que não deve ficar restrita aos dados do Nordeste. Precisamos expandi-la para todo o Brasil, onde a violência doméstica não é menos alarmante” - disse.


 leia também
Terça, 24 de abril de 2018
21:21
Chapeu FEEF
Déficit fiscal e fundo sem fundos
Resistência legislativa e o pior dos mundos
09:20
Chapeu Ibope
Só 19% dos brasileiros pretendem ter filhos nos próximos 2 anos O Nordeste é a região onde as pessoa
Nos próximos dois anos, apenas 19% dos brasileiros pretendem ter filhos, 17% por gravidez e 2% por adoção.
Segunda, 23 de abril de 2018
17:34
Chapeu saúde
Anvisa autoriza venda de novos genéricos para HIV e pressão alta
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu aval para a comercialização de quatro novos medicamentos genér
17:32
Chapeu economia
Parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas é regulamentado
O Comitê Gestor do Simples Nacional publicou hoje (23), no Diário Oficial da União, a regulamentação do Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.
17:26
Chapeu comitiva barrada
Juíza nega visita de Dilma, Ciro Gomes e deputados a Lula na prisão
A comissão de deputados pretendia fiscalizar in loco as condições de encarceramento do ex-presidente.
17:24
Chapeu educação
Inep aprova 87% dos pedidos de isenção da taxa de inscrição do Enem
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aprovou 3.318.149 pedidos de isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018
17:20
Chapeu reforma trabalhista
Decreto deve ajustar reforma trabalhista após MP perder validade
O governo deve editar nos próximos dias um decreto para ajustar pontos polêmicos da reforma trabalhista.
Quinta, 19 de abril de 2018
18:38
Chapeu SUCESSÃO
Taques rejeita cabresto
Recusa a terceirizar o "governo" gerou atritos
Segunda, 16 de abril de 2018
22:46
Chapeu Justiça
Juíza autoriza inspeção de senadores na carceragem onde Lula está preso
Um grupo de senadores vai fazer inspeção, nesta terça-feira (17), na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde o ex-presidente Lula cumpre pena de prisão desde o último dia 7 de abril.
22:39
Chapeu enem
Segurança da prova do Enem é a principal preocupação do MEC, diz ministro
O ministro da Educação, Rossieli Soares, garantiu hoje (16) que a principal preocupação do governo é para com a segurança e o sigilo das provas.

+ ver todas as matérias
Eparre

 Lula lá


Por enquanto incomunicável e na prisão, mas, tudo leva a crer que o discurso, pouco antes de se entregar à Polícia Federal, fez, de Lula uma ideia ambulante. Quem sabe interpretar pesquisas, sem maniqueismos, constata que Lula cresceu nas intenções de voto e na capacidade de transferir parte significativa deles.

 Protagonismo eleitoral


O grande eleitor do próximo pleito, preso ou em liberdade, continuará a ser Lula. Será o candidato do PT até a decisão final impeditiva da Justiça que, por óbvio, não fará justiça como não fez até agora.

 Reta final emocionante


A reta final do primeiro turno será impressionante. As candidaturas nos Estados serão secundárias e os que orbitarem no entorno de Lula ou do PT, agora oficialmente interlocutor da campanha presidencial, terão mais chance de se elegerem. É de uma obviedade cristalina.

 Racha no MDB


O racha no MDB, principalmente no Nordeste, é inevitável. Nem candidatura própria ou conjugada salva o MDB desse racha. Uma "foto autorizada" com Lula - há precedentes de candidatos que fizeram campanha na prisão - é, no Nordeste, uma alavanca e tanto para qualquer candidato.

 Legislativo x Judiciário


A fonte primária na nossa tradição romano-germânica de Direito continua sendo a lei. Estas são votadas pelos representantes eleitos pelo povo. A hermenêutica, a analogia e todo o esforço interpretativo (não vale a retórica chinfrim ante o direito positivado) não podem se sobrepor à legislação votada e chancelada pelos representantes do povo. O Judiciário, ao menos em matéria penal, vem procedendo de forma muito criativa, mas, chegou-se a um ponto em que a classe política será obrigada a reagir. Ou o faz, ou se perde. Impossível empurrar com a barriga.

Eparre

Sexta, 16 de fevereiro de 2018
K.W.
Estranha a edição. Essas agressões na Fecomercio não são gratuitas. Há muita sede de poder. Só pode.

Sexta, 15 de dezembro de 2017
Juvenal
Respondendo ao amigo.
Ficou para depois do carnaval..
Vai Brasillll!!!

Sexta, 08 de dezembro de 2017
Roberto Alves
Alguém acredita que a reforma da previdência sai em 2017?

Terça, 15 de agosto de 2017

Vocês estão todos no grampo. Se não for ilegalmente alguém da Justiça já deve ter determinado grampo em vocês. Ta todo mundo quietinho e aprovando prisão de qualquer jeito e vocês acham que prisão é pro cara ficar no bem bom?

DEIXE SUA OPINIÃO OU COMENTÁRIO
Nome:
Texto:
Email:
Coluna:
Vídeos
 HUMOR
Red Bull te dá asas! E não é que ele levou a sério.
HOME  |   TURMA DO EPA  |   PANORAMA  |   VÍDEOS  |   LEITURA  |   EPARRÊ  |   EPA DOS LEITORES
BROADCAST  |   QUEM SOMOS  |   DIREITO DE RESPOSTA  |   ANÚNCIOS  |   CANAL RSS  |   CONTATO
Copyright © 2011 - Turma do Epa. Todos os direitos reservados