Cuiabá (MT), terça, 12 de dezembro de 2017
Eparre
Quinta, 30 de novembro de 2017
Ico_twitter  Ico_facebook

Atrasos salariais

Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e mais uma dezena de Estados registram atrasos de salários. RJ, por exemplo, ainda não pagou o 13º do ano passado e ainda não obteve os valores relativos a R$ 2,9 bilhões garantidos pela venda futura da CEDAE. Talvez seja o exemplo maior de uma verdadeira tragédia nacional.


Ico_twitter  Ico_facebook

Fluxo de caixa

Não existe fluxo de caixa possível quando a arrecadação é menor do que a despesa. O Estado - qualquer um - não paga apenas salários. Tem despesas como água, energia elétrica e outras despesas que, caso não realizadas, impossibilitam o exercício de qualquer tipo de trabalho.


Ico_twitter  Ico_facebook

Extinção do 13º

O governador do Rio Grande do Sul, Ivo Sartori, propôs uma Emenda Constitucional para extinguir o 13º salário no Rio Grande do Sul. O assunto deixou o funcionalismo do Estado gaucho em polvorosa. Repúdio, protestos, manifestações e outros movimentos já preparam um verdadeiro levante contra a iniciativa do governador sulriograndense.


Ico_twitter  Ico_facebook

Assembleia Legislativa em suspense

Há um temor na Assembleia Legislativa de que, pela primeira vez em décadas, haja atraso no pagamento de salários. Apesar da legislação prever o pagamento até o dia 10 do mês subsequente ao trabalhado, a Assembleia sempre pagou no dia 30. Há esperanças de que o Estado repasse R$ 20 milhões à AL para garantir a folha salarial> Muita gente fazendo figa.


Ico_twitter  Ico_facebook

FEX e jornada em Brasília

Pedro Taques monta acampamento na capital federal pela votação do FEX. O repasse de R$ 400 milhões é vital para o governador equilibrar as contas públicas e manter os pagamentos até o dia 10, ou, mais uma vez, tratar dos parcelamentos para os salários correntes já que o 13º continua a ser pago no aniversário de cada um.


Ico_twitter  Ico_facebook

Fornecedores em desalinho

Fornecedores de maneira geral e prestadores de serviço acumulam atrasos nos pagamentos. Alguns já se especializaram na arte de "empinar papagaios". Claro, não a velha e boa amiga pipa ou pandorga - aqui há denominações para todos os gostos - mas, somar ao papagaio vencido uma nova parcela e contrair nova dívida para honrar compromissos. Alguns, inclusive, já anteveem uma entrada de Ano Novo em condições precárias. As demissões, por ora, estão limitadas às que já aconteceram e muita gente, mas muita mesmo, já consegue até fazer figa com o dedão do pé para não virar o ano demitido.


Segunda, 27 de novembro de 2017
Ico_twitter  Ico_facebook

Greve x Casa da Moeda

Há uma espécie de confronto entre greves de servidores e a Casa da Moeda. A primeira gostaria que a segunda fabricasse ao bel prazer o que servidores reivindicam. A segunda não tem dinheiro nem para imprimir passaportes. Como se vê a crise atinge a todos, indistintamente, até aos que são responsáveis pela fabricação do dinheiro brasileiro. O pior, no entanto, não é isso. Trata-se da disposição do governo central transferir a emissão de dinheiro para gráficas no exterior. Em outras palavras, desperdiçaremos a capacidade industrial da Casa da Moeda, criada no tempo do Império e, evidentemente, com o parque industrial atualizado.


Ico_twitter  Ico_facebook

Cornucópia esgotada

Pode parecer palavrão, mas substituam cornucópia (que pouco tem a ver com cornos amorosos) mas com o local onde se guarda dinheiro, a nossa boa e velha "boroca", que teremos um panorama real da crise: o Estado, apesar da Conta Única, sequer dispõe da dita cornucópia.


Ico_twitter  Ico_facebook

Mania de greve

Um grupo de servidores que deixava o expediente e se deslocava para o Parque das Águas, conversava animado. Até que um deles saiu com a frase: "Bom era o tempo do Silval. Batia o pé e lá vinha acordo. Foi o tempo das "vacas gordas". Todas as conquistas dos servidores em termos salariais se devem ao Silval". Curioso. Fez as leis para o sucessor pagar. Se a frase fosse dita em cabaré alguém, por certo, iria se referir ao ferramental adequado para o objeto já que não seria o próprio.


Ico_twitter  Ico_facebook

PEC dos Gastos não é mágica

Servidores têm a impressão que a PEC do Teto dos Gastos é mágica e fará brotar dinheiro no Estado. O dinheiro não vai brotar. Infelizmente. Essa PEC promete, apenas, o diferimento dos pagamentos da Dívida contratada com o Tesouro. Melhora, sim, o fluxo de caixa. Daqui a dois anos o problema estará batendo à porta novamente. Espera-se, tão somente, que as receitas cresçam no período para suportar os pagamentos.


Ico_twitter  Ico_facebook

Custeio da máquina

O custeio da máquina administrativa também vai se manter ao longo do tempo. Vai ser corrigido pela inflação. Se houver propensão a maiores gastos correntes (aqueles para manutenção da máquina administrativa) terá que haver um corte correspondente. Congela-se a despesa corrente aos números do presente, via congelamento. Simples assim.


Ico_twitter  Ico_facebook

Greve. De novo.

Agora os descontes são os peritos da Polícia. Como se nota, as corporações de ofício não se acanham em manter a voracidade sobre os gastos do governo. Como greve é um modismo permanente alguns já se deram conta de que determinadas categorias ou não trabalham ou, quando em greve, não fazem falta. Certamente não é o caso dos peritos da Polícia.


Sexta, 24 de novembro de 2017
Ico_twitter  Ico_facebook

Africanas

As abelhas africanas ou colmeias africanizadas - um incidente com uma colmeia trazida para São Paulo e com o objetivo de melhorar a produção de mel no Brasil - espalharam-se por todo o canto. Cruzaram com as abelhas europeias, mais mansas, mas não perderam a ferocidade.


Ico_twitter  Ico_facebook

Enxame de Jaime

Jaime Campos, ao discorrer sobre política, buscou o exemplo nas picadas de abelhas africanas capazes de matar até bois. Na concepção do secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, só se vai saber quem sobrará candidato quem passar pela prova das abelhas africanas. Em outras palavras, quem sobreviver ao enxame.


Ico_twitter  Ico_facebook

Choque anafilático

Algumas candidaturas não sobreviverão ao edema de glote ou choque anafilático previsto pelo estrategista do DEM até o próximo ano. Haverá baixas expressivas nos quadros políticos e se espera uma grande renovação.




« anterior    |    1 - 2 - 3 - 4 - 5    |    próxima »
Eparre

Sexta, 08 de dezembro de 2017
Roberto Alves
Alguém acredita que a reforma da previdência sai em 2017?

Terça, 15 de agosto de 2017

Vocês estão todos no grampo. Se não for ilegalmente alguém da Justiça já deve ter determinado grampo em vocês. Ta todo mundo quietinho e aprovando prisão de qualquer jeito e vocês acham que prisão é pro cara ficar no bem bom?

Sexta, 04 de agosto de 2017
Ubiraci Carvalho
Caramba! Que rolo togado esses tais grampos. É um envolvendo o outro e outro envolvendo o um e mais um. VOte.

Sexta, 04 de agosto de 2017
K.W
Por mais que o povão gosta da desgraça alheia é bom ficar claro que prisão não é sala de suplício. Ou precisa desenhar?

DEIXE SUA OPINIÃO OU COMENTÁRIO
Nome:
Texto:
Email:
Coluna:
Vídeos
 natureza
O que acontece se uma pessoa cair em um Vulcão Ativo!?!
HOME  |   TURMA DO EPA  |   PANORAMA  |   VÍDEOS  |   LEITURA  |   EPARRÊ  |   EPA DOS LEITORES
BROADCAST  |   QUEM SOMOS  |   DIREITO DE RESPOSTA  |   ANÚNCIOS  |   CANAL RSS  |   CONTATO
Copyright © 2011 - Turma do Epa. Todos os direitos reservados