Cuiabá (MT), sexta, 19 de abril de 2019
Leitura

Sexta, 07 de março de 2014, 07h44
Chapeu_leitura artigo

Prestação de contas de recursos públicos aplicados em pesquisa

Marino Koch


Investir em pesquisa é uma das grandes necessidades no contexto atual do País, e de forma especial do Estado de Mato Grosso. A cada momento, aumentam os desafios impostos pelo processo de globalização e do avanço tecnológico, gerando maior competitividade entre as organizações, na área pública e privada, nas diferentes regiões, países e grupos econômicos. Preparar o profissional e a sociedade de forma integral para visualizar as oportunidades de melhoria da sua qualidade de vida e, ao mesmo tempo, criar instrumentos que possam dar subsídio ao enfrentamento dos desafios da vida cotidiana e do mercado de trabalho deve ser o foco principal dos Projetos de Pesquisa.

Num cenário cada vez mais competitivo, com recursos escassos, onde as mudanças ocorrem com muita rapidez, a sociedade tende a esperar das entidades públicas o compromisso e exercício eficaz de sua função social e cultural. Um trabalho com foco na melhoria da qualidade de vida da população, fortalecendo a pesquisa, o estudo e, principalmente, a produção e disseminação de conhecimentos como instrumentos capazes de promover a formação profissional, e um maior desenvolvimento em todos os setores da sociedade.

O Estado de Mato Grosso, quando comparado a grandes centros de pesquisa do País,

como é o caso de São Paulo, ainda apresenta índices muito tímidos de investimentos em Projetos de Pesquisa. Uma das principais causas apontadas pelos especialistas desta área é a carência de cursos de mestrado e doutorado, o que ocasiona a escassez de recursos humanos para atuar na formação profissional e na pesquisa.

Outra causa apontada é a falta de participação das empresas em pesquisas, o que tem provocado um distanciamento entre as mesmas e a ciência, diminuindo, por conseguinte, as possibilidades de produção de conhecimento e o seu uso nas empresas como ferramenta de sobrevivência. Essa maior aproximação entre pesquisadores e empresas, na opinião dos especialistas no assunto, proporcionaria uma expressiva redução na mortalidade destas empresas.

O Governo de Mato Grosso tem empreendido esforços no sentido de fomentar a pesquisa, ampliando o valor da aplicação de recursos em pesquisa no Estado, o que tem proporcionado um significativo avanço no campo da produção e disseminação de conhecimentos nas áreas da saúde, educação, segurança e produção agropecuária. Neste sentido, no período de 2008 a 2012, conforme informações obtidas nos Termos de Concessão e Aceitação de Auxílio publicados no Diário Oficial do Estado, foram investidos no Estado de Mato Grosso mais de R$ 38 milhões em 826 projetos de pesquisa.

No Estado, a pesquisa é custeada e fomentada por meio de Fundo específico que tem por objetivo o amparo e o desenvolvimento da pesquisa humanística, científica e tecnológica. Cabe ao Fundo a responsabilidade pela gestão dos recursos liberados, acompanhando e fiscalizando a boa e regular aplicação nos projetos de pesquisa, e aos concessionários beneficiados, a aplicação conforme o plano de trabalho e a obrigação de prestar contas dos recursos recebidos.

No entanto, muitas Tomadas de Conta Especiais são instauradas por irregularidades ocorridas durante a vigência do Termo de Concessão e Aceitação de Auxílio à Projeto de Pesquisa. Uma das causas é a não prestação de contas ou apresentação da mesma fora do prazo de vigência do Termo de Concessão e Aceitação de Auxílio à Projeto de Pesquisa.

Além disso, muitas prestações de contas apresentam falhas na sua elaboração, não contêm documentação que comprove as despesas efetuadas. Em muitos casos, ocorrem aplicações em desacordo com o Plano de Trabalho como gastos com taxas, tarifas bancárias, despesas administrativas, gastos fora das dotações orçamentárias fixadas.

Em alguns casos, a descaracterização do objeto, com desvio da finalidade planejada no Plano de Trabalho, tem igualmente desencadeado o processo de instauração de Tomada de Contas Especiais.

Sabe-se, porém, que antes, durante e após a liberação de recursos para fomento de projetos de pesquisa, rigorosos procedimentos de seleção, orientação, análise e fiscalização são adotados pelo Fundo. No entanto, ainda existem muitas fragilidades. De um lado há a falta de consciência do cidadão que faz uso de recursos públicos sem a devida responsabilidade, de outro pela existência de algumas fragilidades no processo de seleção, gestão e fiscalização por parte dos órgãos concedentes.

A boa e regular aplicação dos recursos públicos e a melhoria da qualidade dos gastos desses recursos liberados nos Termos de Aceitação e Auxílio poderão ser aperfeiçoadas através da implantação de um programa periódico de treinamento que capacite os concessionários sobre todos os aspectos que envolvam o projeto de pesquisa, e, principalmente, como fazer a execução do objeto dentro do plano de trabalho e a correta prestação de contas e sua apresentação dentro do prazo de vigência do Termo de Concessão e Auxílio pactuado.

Acredita-se que o desenvolvimento de ferramentas que possibilitem um acompanhamento prévio e concomitante da execução do objeto pactuado, e da prestação de contas dos recursos aplicados poderá reduzir significativamente a ocorrência de irregularidades e danos ao erário.

A conscientização dos cidadãos responsáveis pela aplicação de recursos públicos, aliada a um bom programa de capacitação para melhorar a qualidade dos gastos públicos, contribuirá de forma significativa e decisiva na redução dos processos de instauração de Tomadas de Contas Especiais em Termos de Aceitação e Auxílio a Projetos de Pesquisa.

 


Marino Koch

Auditor do Estado de Mato Grosso (AGE-MT)


 leia também

Eluise Dorileo
Domingo, 17 de dezembro de 2017
É tempo de gratidão
Estamos perto do Natal. Esse é um momento de gratidão por todo o ano que passou.
Wilson Alves da Silva
Quinta, 16 de novembro de 2017
O transporte alternativo pede socorro
O serviço de táxi-lotação, micro-ônibus foi instituído em Cuiabá pela Lei Municipal 2.758/1990 e começou a operar nas linhas de Cuiabá na gestão do ex-prefeito Frederico Campos.
Benedito Figueiredo Junior
Domingo, 14 de maio de 2017
Cirurgia plástica pós-gravidez
A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica aconselha de 6 meses a um ano para se pensar em realizá-las

+ ver todas os artigos
Eparre

 Choro


As eleições passaram e, como é natural, os derrotados entram no período de catarse, para depois, de forma racional avaliarem os erros e se reciclarem para as próximas eleições sem perder de vista que a democracia é a alternância do poder.

 Ranger de dentes


As disputas, em todos os níveis, adotaram um tom francamente belicista e com uma novidade: a profusão de Fake News (mentiras) difundidas pelas redes sociais, em especial pelo aplicativo whatszapp, numa escala inédito e com características de uma autêntica "guerra híbrida". Há muita maracutaia camuflada e que ainda pode aflorar embora nessa área de TI, os Tribunais Eleitorais e o próprio TSE se revelaram totalmente despreparados para impedir a propagação de notícias falsas.

 Papo furado


O ministro Fux, que ocupou a presidência do TSE, fez muita viagem, inclusive pela Europa, acenando com as consequências das "Fake News" com possibilidade, inclusive, de anular uma eleição. É mais uma das muitas fanfarronices do ministro conhecido por "peruqueiro" já que usa o complementa para dar trato à silhueta com uma vasta cabeleira e acentuado topete. Algo tão falso quanto as suas próprias opiniões no estilo "biruta de aeroporto".

 Deu no que deu


Confrontos inúteis, falhas amadoras nas relações com a imponente casta do funcionalismo público, foram o pano de fundo para a derrota de Pedro Taques que sequer conseguiu levar a eleição para um segundo turno, mesmo com a pretensão de Wellington Fagundes. Se existe algo mais conservador do que o "tucanato", a rejeição ao governador de saída merece toda a culpa. O eleitor não aprovou a sua gestão.

 Esperanças e...a espera


A candidatura de Mauro Mendes, tanto quanto a de Jayme Campos, era fava contada. A sua gestão à frente da Prefeitura e o fato de ter evitado uma candidatura a reeleição para não reproduzir a "trajetória Wilson Santos" foram decisivas para o afastamento, nem tão afastado, da pretensão de Mauro Mendes chegar ao governo do Estado lastreado no prestígio de sua passagem pela Prefeitura da capital, construído, em grande parcela pelo desmedido apoio do governador Pedro Taques à sua gestão. Méritos próprios, sim, mas com um apoio inegável do governador apeado.

 Corecon, nova fase


Evaldo Silva, um dos líderes da Chapa 2 - "Valorizando o Economista", conseguiu traduzir de forma simbólica o esforço que, ao lado de colegas de ofício, pretende imprimir à gestão, a valorização profissional, resgatando a garra dos antigos associados, representados na homenagem que lhes foi prestada nas figuras do professor Fernando Avalia e da economista Agda Salceco, ainda militante aos 76 anos de idade. Um gesto respeitoso e bastante simbólico.

Eparre

Terça, 25 de setembro de 2018
Jurandir
Tá difícil escolher um candidato a governador. Tirante os desconhecidos, só safados.

Segunda, 24 de setembro de 2018
Luiz Roberto
Acho que o pau vai torar no segundo turno. O MM se não ganhar no primeiro não leva depois. Pode anotar. Quanto ao Corecon é mais uma das brigas como as do CRECI, CREA, CRA, CRM...Se é prestação gratuita de serviços é de estranhar tamanha generosidade. Algum benefício tem. Mesmo indireto, mas tem. Prestígio, por exemplo. Vale mais que dinheiro.

Segunda, 24 de setembro de 2018
Manoel Fernandes
Acho que o Corecon ganhou mais organização e seriedade. Sempre há uma ovelha manca em todo rebanho, mas, essa se machucou sozinha.

Domingo, 23 de setembro de 2018
Edvaldo
Entra conselho e sai conselho, Sindicados e Conselhos Regionais continuam na mesma. Um grupo que entra não quer sair e o que sai sempre quer voltar. Deve ser bom, né?

DEIXE SUA OPINIÃO OU COMENTÁRIO
Nome:
Texto:
Email:
Coluna:
Vídeos
 HUMOR
10 coisas que você não deve fazer num velório!
HOME  |   TURMA DO EPA  |   PANORAMA  |   VÍDEOS  |   LEITURA  |   EPARRÊ  |   EPA DOS LEITORES
BROADCAST  |   QUEM SOMOS  |   DIREITO DE RESPOSTA  |   ANÚNCIOS  |   CANAL RSS  |   CONTATO
Copyright © 2011 - Turma do Epa. Todos os direitos reservados