Cuiabá (MT), terça, 23 de outubro de 2018
Leitura

Quinta, 16 de novembro de 2017, 11h58
Chapeu_leitura ARTIGO

O transporte alternativo pede socorro

Wilson Alves da Silva


O serviço de táxi-lotação, micro-ônibus foi instituído em Cuiabá pela Lei Municipal 2.758/1990 e começou a operar nas linhas de Cuiabá na gestão do ex-prefeito Frederico Campos.

Em 2005 já na gestão do ex-prefeito Roberto França foi assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Sindicato das Empresas de Transporte Público Alternativo do Estado de Mato Grosso e Permissionários do Transporte Coletivo Por Táxi-Lotação Associados na época, hoje Sindicato das Empresas de Transporte Público Alternativo de Passageiros do Estado de Mato Grosso (SETA-MT) inserindo as empresas de micro-ônibus no sistema de bilhetagem eletrônica de Cuiabá operando nas linhas convencionais juntos com os ônibus. E desde então estamos operando atendendo a população que utiliza o transporte público para se locomover.

Fomos o socorro da população em muitas greves feitas por motoristas de ônibus na grande Cuiabá, somos mais que alternativas para algumas linhas em que são disponibilizados poucos ônibus ou poucos horários insuficientes para atender muitas linhas na cidade, mas com isso,  os empresários donos das empresas de ônibus não têm medido esforços para nos tirar do sistema, ao invés de trabalhar em harmonia, visto que visam só o lucro e não a satisfação de quem precisa do transporte.

E agora estamos novamente enfrentando dificuldades para operar no sistema em Cuiabá. Foram tiradas pela prefeitura 8 empresas que faziam linhas convencionais a pedido dos empresários. E ainda existe um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pelo Ministério Público Estadual (MPE), por meio da 6ª Promotoria de Justiça Cível, e a Prefeitura de Cuiabá para nos próximos 12 meses, extinguir todos os contratos realizados entre empresas de micro-ônibus e a Prefeitura, até que seja feito um estudo para verificar a viabilidade do transporte coletivo alternativo na capital. Caso o estudo conclua pela inviabilidade, os micro-ônibus de Cuiabá serão retirados de linha definitivamente até dezembro deste ano. 

O promotor de Justiça Ezequiel Borges alega que não foi feito processo licitatório. Só que as empresas de ônibus também estão trabalhando sem licitação com os contratos vencidos.

Não somos contra que seja feito o processo licitatório, pelo contrário quanto mais legalidade melhor, o que nós não concordamos é que tirem empresas de micro-ônibus do sistema prejudicando não só, nós que também precisamos garantir o nosso sustento trabalhando, mas também a população que já sofre por não ter outra opção a não ser ficar esperando o ônibus no ponto por horas por falta de sensibilidade do poder público.


Wilson Alves da Silva

Vice-presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Público Alternativo de Passageiros do Estado de Mato Grosso (SETA-MT)


 leia também

Eluise Dorileo
Domingo, 17 de dezembro de 2017
É tempo de gratidão
Estamos perto do Natal. Esse é um momento de gratidão por todo o ano que passou.
Benedito Figueiredo Junior
Domingo, 14 de maio de 2017
Cirurgia plástica pós-gravidez
A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica aconselha de 6 meses a um ano para se pensar em realizá-las
Juacy da Silva
Terça, 09 de maio de 2017
Agricultura urbana e periurbana
O mundo e os países, em graus variados, enfrentam diversos desafios que devem ser encarados e equacionados para que a população possa desfrutar de padrões e qualidade de vida mais dignos.

+ ver todas os artigos
Eparre

 Relax


As equipes de campanha vencedoras entraram em momento de "relax". Depois do sufoco da apuração vem, de fato, esse momento de calmaria.

 Até o pagamento


E esse momento de calmaria costuma durar até o próximo pagamento. Pelo número de cobranças judiciais em andamento, o marketing político se tornou muito arriscado embora haja outras formas de compensação pelos serviços prestados e não constantes, obrigatoriamente, de prestação de contas de campanha.

 Como as bruxas


"Jo no lo creo en las brujas, pero las hay, las hay". Ainda há muitas "bruxas" à solta nesse período pos-eleitoral. Ninguém sabe até onde as vassouras vão conduzi-las.

Eparre

Terça, 25 de setembro de 2018
Jurandir
Tá difícil escolher um candidato a governador. Tirante os desconhecidos, só safados.

Segunda, 24 de setembro de 2018
Luiz Roberto
Acho que o pau vai torar no segundo turno. O MM se não ganhar no primeiro não leva depois. Pode anotar. Quanto ao Corecon é mais uma das brigas como as do CRECI, CREA, CRA, CRM...Se é prestação gratuita de serviços é de estranhar tamanha generosidade. Algum benefício tem. Mesmo indireto, mas tem. Prestígio, por exemplo. Vale mais que dinheiro.

Segunda, 24 de setembro de 2018
Manoel Fernandes
Acho que o Corecon ganhou mais organização e seriedade. Sempre há uma ovelha manca em todo rebanho, mas, essa se machucou sozinha.

Domingo, 23 de setembro de 2018
Edvaldo
Entra conselho e sai conselho, Sindicados e Conselhos Regionais continuam na mesma. Um grupo que entra não quer sair e o que sai sempre quer voltar. Deve ser bom, né?

DEIXE SUA OPINIÃO OU COMENTÁRIO
Nome:
Texto:
Email:
Coluna:
Vídeos
 HUMOR
10 coisas que você não deve fazer num velório!
HOME  |   TURMA DO EPA  |   PANORAMA  |   VÍDEOS  |   LEITURA  |   EPARRÊ  |   EPA DOS LEITORES
BROADCAST  |   QUEM SOMOS  |   DIREITO DE RESPOSTA  |   ANÚNCIOS  |   CANAL RSS  |   CONTATO
Copyright © 2011 - Turma do Epa. Todos os direitos reservados